O percentual de famílias endividadas no país ficou em 59,1% em maio deste ano, menos do que os 60,2% de abril e os 60,7% de maio do ano passado. Os dados são da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada nesta terça-feira pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).
O total de inadimplentes, ou seja, de famílias com dívidas ou contas em atraso, também recuou para 24,2% em maio deste ano. A taxa é inferior aos 25% do mês anterior e aos 25,5% de maio do ano passado.
Outro indicador que mostrou melhora foi o percentual de famílias sem condições de pagar suas dívidas, que diminuiu para 9,9% em maio deste ano, ante os 10,3% de abril deste ano e os 10,1% de maio de 2017.
“A redução do endividamento, observada nos últimos meses, reflete um ritmo menor de recuperação do consumo das famílias e maior cautela na contratação de novos empréstimos e financiamen-tos”, disse a economista da CNC Marianne Hanson.
O cartão de crédito continua sendo o principal tipo de dívida, apontado por 75,7% das famílias entrevistadas. Em seguida vêm os carnês (16,3%) e, em terceiro lugar, o financiamento de carro (11,1%).
A proporção das famílias que se declararam muito endividadas também diminuiu para 13,4%, o menor patamar desde novembro de 2015. Em maio de 2017, somavam 14,3%.

Fonte: Monitor Digital

Queda no consumo retrai endividamento e inadimplência